Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
comentários
qual das paginas vocês gostaram? e interessante?
Maquiagem para pele moren
alma de mulher
moda mulhe
intimidade femanina
tudo sobre sexo
dicas 30 beijos do kama s
6 DICAS PARA TER A VIDA A
dicas e cuidados com seus
Ver Resultados

Rating: 2.7/5 (1210 votos)




ONLINE
2




Partilhe este Site...



amigos-vale ouro <div data-mvc-banner="sky-wide"></div><script type="text/javascript"> (function(storeName) { var b = document.createElement('script'); b.type = 'text/javascript'; b.async = true; b.src = 'https://www.magazinevoce.com.br/js/banner.js?store='+ storeName; var s = document.getElementsByTagName('script')[0]; s.parentNode.insertBefore(b, s); })('luxmais'); </script>

 

 

 

 

Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos.

Sócrates

A verdadeira amizade é aquela que nos permite falar, ao amigo, de todos os seus defeitos e de todas as nossas qualidades.

Millôr Fernandes

No final, não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos.

Martin Luther King" alt="" width="58" height="64" />

curte tambem a minha pagina no face

https://www.facebook.com/pages/Amigo-Que-Nos-Aplaude-E-Nos-ignora/234416906758945?ref=bookmarks


O SIGNIFICADO DOS SONHOS ERÓTICOS
O SIGNIFICADO DOS SONHOS ERÓTICOS

 A relação sexual pode ter infinitas representações, até mesmo negativas, dependendo do sonhador. Tudo depende da relação de cada um com a própria sexualidade, sensualidade, corpo, sexo, fantasias e relacionamentos. Para alguns, a sexualidade pode ser extremamente problemática, sofrida e associada a um sentimento negativo. Para outros, a sexualidade pode significar energia, vitalidade, prazer, tesão e êxtase.

 

Para compreender melhor o sonho erótico, escolhi partir da Mitologia, que sempre permeou o inconsciente humano, suscitando seus arquétipos e seus principais conflitos.

 

Abaixo, relatarei brevemente o Mito de Eros e Psique, que nos atenta para a origem do termo "erótico" e também já nos traz algum simbolismo que facilitará o entendimento deste artigo.

 

O MITO DE EROS E PSIQUE 

Eros é a personificação do amor, estava ligado à luxuria, ao desejo dos sentidos, ao amor ardente e ao deleite. Era um deus perverso, que com suas flechadas brincava com os corações dos humanos, fazendo-os se apaixonar. Enviado por sua mãe Afrodite para estancar a fama de Psique - já que ela, mortal de incrível beleza, estava atraindo seus devotos - machucou a si mesmo em uma de suas flechas, apaixonando-se ele próprio por aquela beldade.

 

Desposou Psique com a condição de que ela jamais veria o seu rosto. Morava em um templo magnífico com tudo do melhor. Eros só a visitava à noite e isso fazia com que Psique se sentisse muito solitária. Sob influência maligna das irmãs invejosas, sorrateiramente Psique decide ver a face do noivo e deixa cair uma gota de óleo em seu ombro. Acordado com a dor, nota as intenções da esposa e foge para não mais vê-la, como havia lhe prometido.

 

Inconsolável e já sem esperanças, Psique procura por Afrodite, para que lhe ajude a ter seu amado marido de volta. Afrodite sugere tarefas árduas e impossíveis na tentativa de intimidar sua decisão, mas Psique já não tem nada a perder. Ao adormecer, as tarefas são realizadas por seres da natureza e também conta com a ajuda do esposo na última das tarefas. Penalizado com todo o sacrifício de Psique, Eros resolve pedir a Zeus que interceda por sua amada.

 

Zeus, como possui uma dívida com Eros, torna Psique uma deusa e decreta a união eterna dos dois amantes, que assim se tornam completos. Psique é igualmente a personificação da alma, significa "sopro" ou "princípio vital".

 

Percebemos pelo mito, que Eros só encontra a felicidade ao lado de Psique, ou seja, só pode existir o sentimento verdadeiro quando amor e alma estão presentes, quando se dá a união do corpo de prazer com a mente vital. Eros, antes de Psique, era um deus brincalhão, infantilizado, promíscuo e, às vezes, perverso. Psique, aparentemente frágil quando ainda mortal, era adorada como deusa. Ela enfrenta todos os estágios para merecer subir ao Olimpo junto de seu amado. Ela ama verdadeiramente, ela está comprometida pela alma. Esse mito fala do casamento de corpo e alma, do desejo e do comprometimento.

 

INTERPRETANDO OS SONHOS ERÓTICOS

 

Neste artigo expliquei que o sonho é uma via simbólica para nos relacionarmos com aspectos de nós mesmos. O ato de sonhar também é uma forma de compensar, equilibrar a psique e realizar desejos inconscientes. Se pegarmos essas três funções do sonho, podemos aplicá-las aos sonhos eróticos.

 

Uma psique que sonha um sonho erótico é uma psique mais vitalizada, energizada, cheia de intensidade e desejo (que não é necessariamente sexual, mas simboliza como o desejo se manifesta na vida da pessoa). Um dos aspectos que pode ser entendido no contexto de um sonho erótico é o de "transar" com a própria vida. Ou seja, indica que a pessoa está engajada em seu próprio processo de conhecimento e prazer consigo mesma."Um dos aspectos que pode ser entendido no contexto de um sonho erótico é o de "transar" com a própria vida. Ou seja, indica que a pessoa está engajada em seu próprio processo de conhecimento e prazer consigo mesma."

 

 

Outra possibilidade é que o sonho erótico seja a demanda de atenção e energia direcionadas aos aspectos psíquicos representados em cada sonho.

 

Para que esse entendimento se torne mais concreto, é imprescindível situar-se em toda uma história de vida, bem como levantar as associações feitas pelo sonhador do que é erótico, de que tipo de contato é esse, qual é o cenário em que isso ocorre, quais os sentimentos que permeiam o sonho, enfim, um conjunto de fatores que completam o entendimento do simbólico trazido do inconsciente deste sonhador.

 

EXEMPLOS DE SONHOS ERÓTICOS

 

 

Por exemplo, uma mulher sonha estar transando com uma figura masculina conhecida, em sua própria casa, e com um profundo sentimento de prazer. É possível afirmar que ela está em busca ou já está se relacionando de maneira mais próxima e intensa com seu Animus (a parte masculina que habita a psique feminina, da mesma maneira que todo homem será habitado por uma Anima). Existe um contato íntimo com esse aspecto. Esse contato é fértil, produtivo, promove equilíbrio entre o feminino e o animus que compõem essa mulher. Ela provavelmente experimentará momentos de receptividade e afeto, em harmonia a momentos de expressão de ideias e posicionamentos fortes na vida.

 

Outro exemplo: uma mulher heterossexual sonha que transa com uma amiga muito próxima, e o sentimento do sonho é de prazer e afeto. Isso indica que essa mulher é homossexual? Não necessariamente. Lembrem-se que devemos considerar o contexto do sonhador. Um sonho desse tipo pode significar a manifestação simbólica de que essa mulher está bem ligada e se relacionando com o seu próprio feminino, sua sensualidade e seu corpo. Pode ser uma amiga que estimule a criatividade (não necessariamente sexual), que seja mais conectada com o próprio instinto e esse contato seja benéfico para a psique desta sonhadora.

 

Mais uma situação para ilustrar: um homem homossexual sonha estar transando com uma mulher em um lugar desconhecido, desagradável e sua sensação é de repulsa. Primeiramente, o sonho não está pondo em cheque sua condição sexual. Isso pode simplesmente revelar um contato prejudicado e muito inconsciente com sua anima (o feminino em sua psique). A vida, a criatividade, o afeto e a sensibilidade ficam paralisados ou aparecem de maneira contida e desconfortável. Esse homem, independente de se interessar por outros homens, está falando de sua própria psique, está falando de sua própria incompletude.

 

É importante entender que ambos, homens e mulheres, possuem sua contraparte psíquica e aqui vale salientar que o fato independe da identidade sexual.

 

Na função compensatória do sonho, o sonhador pode estar desejando se relacionar mais, tanto sexualmente quanto internamente com aspectos de si mesmo. Isso pode ocorrer em um momento que o sonhador esteja desvitalizado, precisando de mais comprometimento com sua própria vontade, tesão e desejo, o inconsciente vem nutrir essa psique, eliminar parte da tensão que este assunto gera, ainda que temporariamente.

 

EROTISMO E PORNOGRAFIA

O erotismo é hoje amplamente confundido com a pornografia, porém são bem distintos entre si. Na pornografia não há sensualidade. Há o ato sexual em sua forma mais mecânica e banalizada. Tudo é muito óbvio e sem encantamento. A pornografia é a exploração, inclusive comercial, de diversos aspectos mais explícitos do sexo. É o ato sexual sem nenhuma discrição ou limite, se pensarmos na pornografia bizarra que nada tem de erótica. Em geral, a pornografia é mais inacessível e atende a um determinado público, em geral masculino.
Podemos assistir a uma cena erótica em um filme ou novela, em que o sexo fica subentendido, a nudez pode aparecer, mas a mensagem é sempre mais importante do que o ato em si. Está contextualizado, há sensualidade. O erótico está sim ligado ao sexo, ao corpo, mas não podemos esquecer de que está ligado ao amor e ao desejo também. No erotismo existe certo encanto, não há obviedade e nada é tão explícito. Em geral, está conectado ao artístico e não ao concreto. O erotismo pode estar contido numa cena, numa poesia, numa foto, numa escultura e, apesar da exposição do corpo, há uma mensagem que vai além. Há um deleite, algo subentendido e muitas vezes até mesmo caricata. Em sua maior parte, o público feminino prefere o erótico ao pornográfico, sem generalizações.

 

 

SONHOS ERÓTICOS TAMBÉM SIMBOLIZAM TESÃO PELA VIDA

 De qualquer maneira, os sonhos eróticos em geral mostram uma psique vivificada que está em contato tanto com o feminino quanto com o masculino, tanto com as emoções quanto com a razão. Transar em um sonho mostra todo o potencial de empregar a libido (como energia vital) na própria vida, inclusive fora de um contexto de relacionamento ou sexual. Pode ter relação com um bom projeto profissional ou uma viagem que está gerando certa ansiedade e tensão.

 

Não temos tesão, desejo e prazer somente com o sexo. Se isso acontece, há algo errado. Nosso tesão, vontade e energia podem ser direcionados para vários setores de nossas vidas. Quem tem tesão está vivo. Quem busca completude está vivo. Transar com a vida é encontrar prazer na integração psíquica.

 

Eros não é completo até se casar com Psique. Não é possível desenvolvimento de consciência sem unir a vontade do corpo com a vontade da alma. Para isso, às vezes é preciso superar as próprias desconfianças e o próprio medo de estar presente por inteiro na vida, qualquer que seja o rumo que escolhamos dar a ela.

 

Conheça Os seis caminhos do amor, novo livro da Coleção Personare, e descubra as infinitas possibilidades da sua vida afetiva.

 

Esta matéria foi útil para você?Sim Não

A relação sexual pode ter infinitas representações, até mesmo negativas, dependendo do sonhador. Tudo depende da relação de cada um com a própria sexualidade, sensualidade, corpo, sexo, fantasias e relacionamentos. Para alguns, a sexualidade pode ser extremamente problemática, sofrida e associada a um sentimento negativo. Para outros, a sexualidade pode significar energia, vitalidade, prazer, tesão e êxtase.

 

Para compreender melhor o sonho erótico, escolhi partir da Mitologia, que sempre permeou o inconsciente humano, suscitando seus arquétipos e seus principais conflitos.

 

Abaixo, relatarei brevemente o Mito de Eros e Psique, que nos atenta para a origem do termo "erótico" e também já nos traz algum simbolismo que facilitará o entendimento deste artigo.

 

O MITO DE EROS E PSIQUE

 

 

Eros é a personificação do amor, estava ligado à luxuria, ao desejo dos sentidos, ao amor ardente e ao deleite. Era um deus perverso, que com suas flechadas brincava com os corações dos humanos, fazendo-os se apaixonar. Enviado por sua mãe Afrodite para estancar a fama de Psique - já que ela, mortal de incrível beleza, estava atraindo seus devotos - machucou a si mesmo em uma de suas flechas, apaixonando-se ele próprio por aquela beldade.

 

Desposou Psique com a condição de que ela jamais veria o seu rosto. Morava em um templo magnífico com tudo do melhor. Eros só a visitava à noite e isso fazia com que Psique se sentisse muito solitária. Sob influência maligna das irmãs invejosas, sorrateiramente Psique decide ver a face do noivo e deixa cair uma gota de óleo em seu ombro. Acordado com a dor, nota as intenções da esposa e foge para não mais vê-la, como havia lhe prometido.

 

Inconsolável e já sem esperanças, Psique procura por Afrodite, para que lhe ajude a ter seu amado marido de volta. Afrodite sugere tarefas árduas e impossíveis na tentativa de intimidar sua decisão, mas Psique já não tem nada a perder. Ao adormecer, as tarefas são realizadas por seres da natureza e também conta com a ajuda do esposo na última das tarefas. Penalizado com todo o sacrifício de Psique, Eros resolve pedir a Zeus que interceda por sua amada.

 

Zeus, como possui uma dívida com Eros, torna Psique uma deusa e decreta a união eterna dos dois amantes, que assim se tornam completos. Psique é igualmente a personificação da alma, significa "sopro" ou "princípio vital".

 

Percebemos pelo mito, que Eros só encontra a felicidade ao lado de Psique, ou seja, só pode existir o sentimento verdadeiro quando amor e alma estão presentes, quando se dá a união do corpo de prazer com a mente vital. Eros, antes de Psique, era um deus brincalhão, infantilizado, promíscuo e, às vezes, perverso. Psique, aparentemente frágil quando ainda mortal, era adorada como deusa. Ela enfrenta todos os estágios para merecer subir ao Olimpo junto de seu amado. Ela ama verdadeiramente, ela está comprometida pela alma. Esse mito fala do casamento de corpo e alma, do desejo e do comprometimento.

 

INTERPRETANDO OS SONHOS ERÓTICOS

 

 

Neste artigo expliquei que o sonho é uma via simbólica para nos relacionarmos com aspectos de nós mesmos. O ato de sonhar também é uma forma de compensar, equilibrar a psique e realizar desejos inconscientes. Se pegarmos essas três funções do sonho, podemos aplicá-las aos sonhos eróticos.

 

Uma psique que sonha um sonho erótico é uma psique mais vitalizada, energizada, cheia de intensidade e desejo (que não é necessariamente sexual, mas simboliza como o desejo se manifesta na vida da pessoa). Um dos aspectos que pode ser entendido no contexto de um sonho erótico é o de "transar" com a própria vida. Ou seja, indica que a pessoa está engajada em seu próprio processo de conhecimento e prazer consigo mesma."Um dos aspectos que pode ser entendido no contexto de um sonho erótico é o de "transar" com a própria vida. Ou seja, indica que a pessoa está engajada em seu próprio processo de conhecimento e prazer consigo mesma."

 

 

Outra possibilidade é que o sonho erótico seja a demanda de atenção e energia direcionadas aos aspectos psíquicos representados em cada sonho.

 

Para que esse entendimento se torne mais concreto, é imprescindível situar-se em toda uma história de vida, bem como levantar as associações feitas pelo sonhador do que é erótico, de que tipo de contato é esse, qual é o cenário em que isso ocorre, quais os sentimentos que permeiam o sonho, enfim, um conjunto de fatores que completam o entendimento do simbólico trazido do inconsciente deste sonhador.

 

EXEMPLOS DE SONHOS ERÓTICOS

 

 

Por exemplo, uma mulher sonha estar transando com uma figura masculina conhecida, em sua própria casa, e com um profundo sentimento de prazer. É possível afirmar que ela está em busca ou já está se relacionando de maneira mais próxima e intensa com seu Animus (a parte masculina que habita a psique feminina, da mesma maneira que todo homem será habitado por uma Anima). Existe um contato íntimo com esse aspecto. Esse contato é fértil, produtivo, promove equilíbrio entre o feminino e o animus que compõem essa mulher. Ela provavelmente experimentará momentos de receptividade e afeto, em harmonia a momentos de expressão de ideias e posicionamentos fortes na vida.

 

Outro exemplo: uma mulher heterossexual sonha que transa com uma amiga muito próxima, e o sentimento do sonho é de prazer e afeto. Isso indica que essa mulher é homossexual? Não necessariamente. Lembrem-se que devemos considerar o contexto do sonhador. Um sonho desse tipo pode significar a manifestação simbólica de que essa mulher está bem ligada e se relacionando com o seu próprio feminino, sua sensualidade e seu corpo. Pode ser uma amiga que estimule a criatividade (não necessariamente sexual), que seja mais conectada com o próprio instinto e esse contato seja benéfico para a psique desta sonhadora.

 

Mais uma situação para ilustrar: um homem homossexual sonha estar transando com uma mulher em um lugar desconhecido, desagradável e sua sensação é de repulsa. Primeiramente, o sonho não está pondo em cheque sua condição sexual. Isso pode simplesmente revelar um contato prejudicado e muito inconsciente com sua anima (o feminino em sua psique). A vida, a criatividade, o afeto e a sensibilidade ficam paralisados ou aparecem de maneira contida e desconfortável. Esse homem, independente de se interessar por outros homens, está falando de sua própria psique, está falando de sua própria incompletude.

 

É importante entender que ambos, homens e mulheres, possuem sua contraparte psíquica e aqui vale salientar que o fato independe da identidade sexual.

 

Na função compensatória do sonho, o sonhador pode estar desejando se relacionar mais, tanto sexualmente quanto internamente com aspectos de si mesmo. Isso pode ocorrer em um momento que o sonhador esteja desvitalizado, precisando de mais comprometimento com sua própria vontade, tesão e desejo, o inconsciente vem nutrir essa psique, eliminar parte da tensão que este assunto gera, ainda que temporariamente.

 

EROTISMO E PORNOGRAFIA

O erotismo é hoje amplamente confundido com a pornografia, porém são bem distintos entre si. Na pornografia não há sensualidade. Há o ato sexual em sua forma mais mecânica e banalizada. Tudo é muito óbvio e sem encantamento. A pornografia é a exploração, inclusive comercial, de diversos aspectos mais explícitos do sexo. É o ato sexual sem nenhuma discrição ou limite, se pensarmos na pornografia bizarra que nada tem de erótica. Em geral, a pornografia é mais inacessível e atende a um determinado público, em geral masculino.
Podemos assistir a uma cena erótica em um filme ou novela, em que o sexo fica subentendido, a nudez pode aparecer, mas a mensagem é sempre mais importante do que o ato em si. Está contextualizado, há sensualidade. O erótico está sim ligado ao sexo, ao corpo, mas não podemos esquecer de que está ligado ao amor e ao desejo também. No erotismo existe certo encanto, não há obviedade e nada é tão explícito. Em geral, está conectado ao artístico e não ao concreto. O erotismo pode estar contido numa cena, numa poesia, numa foto, numa escultura e, apesar da exposição do corpo, há uma mensagem que vai além. Há um deleite, algo subentendido e muitas vezes até mesmo caricata. Em sua maior parte, o público feminino prefere o erótico ao pornográfico, sem generalizações.

 

 

SONHOS ERÓTICOS TAMBÉM SIMBOLIZAM TESÃO PELA VIDA

 

 

De qualquer maneira, os sonhos eróticos em geral mostram uma psique vivificada que está em contato tanto com o feminino quanto com o masculino, tanto com as emoções quanto com a razão. Transar em um sonho mostra todo o potencial de empregar a libido (como energia vital) na própria vida, inclusive fora de um contexto de relacionamento ou sexual. Pode ter relação com um bom projeto profissional ou uma viagem que está gerando certa ansiedade e tensão.

 

Não temos tesão, desejo e prazer somente com o sexo. Se isso acontece, há algo errado. Nosso tesão, vontade e energia podem ser direcionados para vários setores de nossas vidas. Quem tem tesão está vivo. Quem busca completude está vivo. Transar com a vida é encontrar prazer na integração psíquica.

 

Eros não é completo até se casar com Psique. Não é possível desenvolvimento de consciência sem unir a vontade do corpo com a vontade da alma. Para isso, às vezes é preciso superar as próprias desconfianças e o próprio medo de estar presente por inteiro na vida, qualquer que seja o rumo que escolhamos dar a ela.

 

Conheça Os seis caminhos do amor, novo livro da Coleção Personare, e descubra as infinitas possibilidades da sua vida afetiva.

 

Esta matéria foi útil para você?Sim Não

 

VOCÊ DÁ ATENÇÃO AOS SEUS SONHOS?

Entenda por que interpretar sonhos ajuda a se conhecer melhor

Desde tempos remotos na história da humanidade, reis, imperadores, faraós e grandes governantes davam especial atenção às mensagens que os sonhos traziam, como um presságio de algum acontecimento na vida individual ou um evento coletivo naquela determinada sociedade e que geralmente eram interpretadas por um sacerdote ou feiticeiro de confiança.

 

Sabemos que os sonhos sempre representaram objeto de fascínio e curiosidade para o homem desde a Antiguidade e certamente antes disso. Esse processo teve início com a capacidade de simbolização, ou seja, a atribuição de uma conotação carregada de significados diversos que vão além do significado evidente de um determinado objeto, termo, nome ou imagem. Tomemos, por exemplo, a suástica que automaticamente nos remete ao contexto histórico do nazismo e tudo o que ele representou e que vai além de seu significado original. No entanto, é um símbolo que originalmente data de aproximadamente 4000 anos a.C e que se tratava de um símbolo que representava a felicidade, o bem-viver e que na maioria dos achados arqueológicos, estava ligado a um contexto religioso e sagrado.

 

No caso da suástica, o real significado do símbolo foi distorcido e passou a ter outro significado. Mas o significado original foi perdido? Não. O símbolo comporta todos esses contextos. Vale lembrar que o símbolo usado no nazismo era um espelho da suástica original, invertendo-se o sentido dos braços da cruz gamada.

 

Com este simples, porém representativo exemplo, podemos perceber que os símbolos são carregados de um entendimento que vai além de sua forma objetiva e possuem uma versatilidade de representações muito importante que nos ajudará a entender o simbolismo dos sonhos posteriormente. Percebemos que o símbolo da suástica carrega em si tanto um significado sagrado, quanto um significado nefasto e ainda assim é o mesmo símbolo e tudo depende do olhar de quem o estará observando e que de forma alguma excluirá o outro significado.

 

DE ONDE VÊM OS SONHOS?

 

 

Outro passo para entendermos nossos sonhos é compreendermos de onde eles vêm. O inconsciente do homem, ou seja, a parte que ele próprio desconhece sobre si mesmo é um imenso produtor de símbolos espontâneos que acessam e se comunicam com a consciência por meio deste canal simbólico (os sonhos) e caracterizam uma conexão entre a vida consciente, acordada, externa e a vida inconsciente, oculta e interna. É importante lembrar que mesmo quando não estamos dormindo, o Inconsciente não deixa de existir e agir. Em outra oportunidade falaremos sobre as funções do sonho.

 

Levando em consideração que o tema é vasto, diversas ciências se propõem a estudá-lo. Dentre elas, a Neurologia, a Neurofisiologia, a Simbologia, a Onirologia, a Psicologia, entre outras. Porém, todas elas são complementares entre si e neste artigo falaremos apenas do ponto de vista psíquico.

 

Adotando um ponto de vista orgânico, podemos dizer que os sonhos provêm de modificações nas sinapses cerebrais durante o período REM do sono e têm a função de fixar ou descartar conteúdos adquiridos enquanto o indivíduo está acordado formando sua memória e solidificando conhecimentos e que se reorganizam durante o sono. Este é um fato orgânico. Porém, há outros fatos que não são orgânicos. São os fatos psíquicos que fortemente complementam essa visão organicista.

 

Ao entendermos que essa reorganização de sinapses não ocorre por acaso e que os sonhos são imagens simbólicas intimamente ligadas à vida inconsciente do sonhador, chegamos à importância do sonho como um regulador psíquico que é passível de interpretação.

 

FREUD E JUNG

 

 

As abordagens psicológicas que mais se dedicaram a este estudo foram a Psicologia Analítica de C. G. Jung e a Psicanálise de Sigmund Freud. Porém, ambos divergiam quanto à forma de interpretação dada aos símbolos oníricos. Por exemplo: para Freud os símbolos no sonho vêm carregados de repressão e por isso não se constituem tal como são e sim como uma fachada, um significado oculto e distorcido, como uma mensagem codificada do inconsciente sobre desejos reprimidos, ideias recalcadas ou compensatórias que se mantinham fixas e imutáveis, além de serem oportunistas ao acessar a consciência na forma de sonho.

 

Já para Jung, além dos desejos e da função compensatória, os símbolos no sonho se apresentam tal como são. Não há distorção. Eles representam aspectos psíquicos do sonhador bem como o funcionamento de seu aparelho psíquico revelando mecanismos e também permitindo ao indivíduo evocar novas possibilidades existenciais. Ou seja, permite ao sonhador acessar uma fotografia fidedigna do estado em que seu inconsciente se encontra. É um como um organismo vivo que transmite uma mensagem que, se devidamente interpretada, auxilia o indivíduo a se localizar em seu próprio mundo interior e conseqüentemente, seu mundo exterior. Para ele existe uma mutabilidade no teor e nos símbolos apresentados pelo Inconsciente, que se desenvolvem juntamente com seu sonhador, como vimos no caso da suástica.

 

POR QUE E PARA QUE ANALISAR E INTERPRETAR SONHOS?

 

 

A interpretação dos sonhos serve para elucidar e clarificar os símbolos enviados pelo inconsciente que estão representando aspectos psíquicos do sonhador. Esta análise nos permite conhecer um pouco mais sobre nós mesmos. Permite-nos acessar um conhecimento interno puro que nos direciona para a realização da potencialidade que a vida espera que possamos cumprir. É como um guia interno que nos diz: "Ei, você está caminhando em uma direção perigosa, fique atento, por que sabemos que não irá terminar bem!" ou "Você não está sendo suficientemente claro em suas ações e por isso se sente injustiçado ou enraivecido, fale o que é preciso" ou "Você está cansado demais, melhor encontrar momentos de repouso" ou até mesmo "Há algo de doente em seu corpo, melhor ir ao médico".

 

Todas essas e infinitas outras interpretações são provenientes do símbolo entendido e amplificado, trazido para a vida concreta. Se lembrarmos dos Imperadores, eles se utilizavam da interpretação dos sonhos para tomar grandes decisões a respeito de seus impérios, para decisões de guerra e até mesmo para prever os resultados que os esperavam. Então, podemos transpor essa possibilidade para nossas vidas, permitindo que os sonhos nos orientem em nossas ações e decisões no mundo concreto.

 

Interpretar sonhos é o ato de iluminar cantos escuros da psique, aumentar o nível de consciência acerca de si mesmo e também evitar muitos problemas de ordem psíquica como depressões, ansiedades, medos, inseguranças. Afinal, indivíduos conectados com todas as partes de si mesmo, inclusive as que não pode ver, tornam-se mais completos, mais felizes e realizados, menos suscetíveis às influências contrárias à sua realização na vida.

 

Esta matéria foi útil para você?SimNão

SONHO LÚCIDO: MITO OU REALIDADE?

Descubra se é possível controlar o ato de sonhar

A primeira vez que tive contato com o tema sobre sonhos lúcidos ou conscientes fiquei um pouco pasma. Em pesquisas pela internet cheguei a encontrar, inclusive, produtos que eram comercializados com a promessa de que os sonhos poderiam ser controlados pelo sonhador. A ideia de sonho (inconsciente) relacionado à lucidez me pareceu um pouco absurda. Em seguida, uma pergunta se formou em minha mente: para que eu iria querer controlar um sonho?

 

Comecei a procurar algum embasamento científico sobre o assunto, a fim de compreender se isso era possível e qual seria a finalidade. A Psicologia Analítica dá toda a justificativa teórica para esta questão dos sonhos, pois eles são a "conversa" entre o consciente e o inconsciente. Mas se o consciente está presente controlando o inconsciente, não há conversa, e sim um monólogo.

 

O olhar da Psicologia Analítica lida com o inconsciente e seus produtos de maneira respeitosa. Por isso, falar sobre sonhos lúcidos é falar sobre uma ideia que soa muito mais comercial do que, de fato, terapêutica. Tristemente percebi muito mais uma tendência humana de criar mecanismos de controle sobre o natural do que uma tentativa de aproximar o sonhador de seu próprio inconsciente, sua própria natureza.

 

A natureza vem padecendo da ilusória e doente ideia de controle do ego humano. E controlar um sonho seria como arrancar árvores de uma floresta, poluir um rio com química ou o ar com fuligem. Seria negar a própria natureza humana.

 

ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DA CONSCIÊNCIA E DO INCONSCIENTE

 

 

Consciência

 

 
  • - É intermitente, isto é, não consegue se sustentar de forma permanente, constante. Não é possível ter consciência de tudo o tempo todo.
  • - A consciência tem a propriedade de focar a atenção, enquanto todo o resto é inconsciente. Essa ação é dinâmica e mutável.
  • - Tem por núcleo o ego (controle, escolha, vigília, a noção de EU, etc.).
  • - É a parte do aparelho psíquico que conhecemos via contato com a realidade, que sabemos e percebemos.

 

 

Inconsciente

 

 - É o substrato primordial da psique e sempre existiu. Nele estão contidas todas as experiências humanas (arquétipos), os instintos, as impressões subliminares, etc.
  • - Dele nasceu a consciência por meio de inúmeras resoluções espontâneas de conflitos que forçavam o inconsciente a buscar equilibrar-se.
  • - É autônomo e funciona juntamente com a consciência em prol da totalidade psíquica. Ele não exclui a consciência, mas sim precisa dela para que a personalidade possa integrar os opostos e assim equilibrar a psique.
  • - Produz símbolos e sonhos que fornecem recursos para que o sonhador possa ter um conhecimento mais profundo de si mesmo e, dessa forma, resolver seus conflitos de acordo com o equilíbrio psíquico.

 

 

Ora, se estamos falando de duas instâncias tão diferentes em tamanho, força e constância, como podemos pensar que nossa consciência, mais especificamente o ego (que é tão parcial, tão incompleto quando isolado da totalidade da psique), possa querer controlar e submeter a fonte que o alimenta de maneira espontânea e suficiente? Ao meu ver, seria um grande e antinatural equívoco.

 

EGO ONÍRICO: A PERSONALIDADE QUE PARTICIPA DO SONHO

 

 

Há uma personalidade consciente dentro do sonho. Entretanto, não podemos confundir a personalidade do sonho com a nossa personalidade vigil, ou seja, acordada, desperta. Há o ego onírico, isto é, um eu que observa e participa do sonho. Ele vivencia as situações que o inconsciente utiliza, para poder comunicar à consciência o que a alma do indivíduo precisa para tornar-se cada vez mais completa.

 

Compreender-se sonhando dentro do sonho é a constatação de uma personalidade que está presente no sonho, mas não que comanda o sonho. Vivencia o sonho, mas não o controla. O próprio fato de perceber que está sonhando é material onírico, ou seja, é material do próprio sonho."Compreender-se sonhando dentro do sonho é a constatação de uma personalidade que está presente no sonho, mas não que comanda o sonho. Vivencia o sonho, mas não o controla. O próprio fato de perceber que está sonhando é material onírico, ou seja, é material do próprio sonho."

 

 

MAS, AFINAL, PARA QUE SERVEM OS SONHOS?

 

 

Se a função do sonho é a de estabelecer uma relação entre inconsciente e consciência a serviço da totalidade psíquica, como posso acreditar que serei capaz de controlar algo que excede tudo o que eu sei? Lembremos que o inconsciente é muito importante, pois ele fala daquilo que não sabemos. Ele comunica à nossa personalidade consciente o que é necessário para o todo, e não somente para o ego.

 

Sonhar já permite o acesso a recursos internos. Sonhar e lembrar, tanto melhor. Sonhar e contar para alguém aprofunda o acesso aos recursos. Sonhar e contar para alguém a fim de amplificar a compreensão do sonho é o ideal.

 

Superestimar demais o ego é afastar-se da natureza psíquica que possui seus próprios propósitos e funcionamentos. Tudo passa a ser uma questão do ego do homem contra seu próprio inconsciente. Nesse sentido, a ciência presta um desserviço à psique, esquecendo-se que há caminhos naturais para a vida, que são fornecidos pelo inconsciente. Sonhamos com o que é relevante para a psique. Os sonhos não estão a serviço do Ego, mas a serviço do equilíbrio psíquico.